Programas Sociais

Como funciona o FIES

Confira as orientações e entenda como funciona o FIES

Muitos brasileiros recorrem aos programas públicos para fazer o seu curso superior e um deles é o Financiamento Estudantil (FIES).

Ele já tem milhares de contratos ativos e, a cada ano, mais vestibulandos se interessam em conseguir uma vaga, mesmo que também haja bastante reclamação referente à burocracia para renovar os contratos.

Entenda, neste texto, como funciona o FIES, quais pessoas podem pedi-lo e como é estruturado o pagamento.

Aprenda também quais são os principais problemas de quem faz o Financiamento Estudantil e como enfrentá-los.


Como funciona o pagamento do FIES?

As pessoas podem compreender facilmente como é esse programa se pensarem na forma de financiar uma casa: o banco faz o pagamento integral para a construtora e, depois disso, o dono da casa passa a pagar as parcelas para o banco.

No Financiamento Estudantil, é o Ministério da Educação quem paga o curso superior para as instituições particulares.

Depois do pagamento realizado, é feito um contrato entre o MEC e o universitário e, depois que o curso termina, este precisa devolver as parcelas.

Por exemplo, imagine uma pessoa que desejava fazer o curso de Direito, cuja mensalidade é de R$ 800,00, aproximadamente.

Se ela conseguir um contrato com o FIES, o Ministério da Educação paga todas as mensalidades do curso; quando esse estudante estiver formado, ele terá um ano e meio de prazo para se organizar profissionalmente e, depois, começará a pagar de volta as mensalidades.

É válido dizer que, retomando o exemplo do estudante de Direito, ele não precisará pagar R$ 800,00 por mês para o MEC: as parcelas do Financiamento Estudantil costumam ser bem mais baixas, ou seja, a pessoa passa vários anos pagando pelo seu curso superior.

Como funciona o FIES


Requisitos para participar do FIES

Como se imagina, esse programa de educação universitária é muito custoso para o governo federal e é por isso que são estabelecidos certos requisitos: com eles, as solicitações de contrato são “filtradas”.

Os requisitos em questão são:

  • Para pedir o FIES com juros, a pessoa deve ter até cinco salários mínimos como renda per capita. Entretanto, existem duas modalidades diferentes de contrato com juros: uma é para todas as regiões brasileiras e a outra é específica para o Nordeste, o Norte e o Centro-Oeste;
  • Para pedir o FIES sem juros, são necessários até três salários mínimos como renda per capita.

Os outros requisitos que são exigidos de quem procura o Financiamento Estudantil são:

  • Não ter nenhum curso superior já feito;
  • Nunca ter usado o FIES antes. Destaca-se que mesmo que a pessoa já tenha pago todo o financiamento anterior, não poderá solicitar esse mesmo programa novamente
  • Estar em uma faculdade particular que seja reconhecida pelo Ministério da Educação e que tenha avaliação positiva;
  • Ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), sem ter zerado a redação e também tendo obtido a nota mínima ou superior;
  • Se participante do Programa de Crédito Negativo, é necessário não apresentar nenhuma pendência;
  • Não possuir uma bolsa integral do Programa Universidade para Todos (ProUni);
  • Escolher, obrigatoriamente, um curso presencial;
  • Ter renda bruta maior que o valor cobrado como mensalidade.

Como dar entrada no financiamento estudantil do FIES

Primeiramente, o estudante já precisa ter a sua matrícula na instituição de ensino superior: só depois de a matrícula estar feita é que o FIES pode ser requisitado.

É por isso que esse programa causa um pouco de insegurança nos solicitantes: muitos têm medo de fazer a matrícula e ter o financiamento recusado, sendo preciso abandonar a vaga.

Para evitar isso, é preciso que o estudante tenha plena certeza de que se encaixa nos requisitos do Ministério da Educação para o FIES.

O Ministério da Educação tem um site chamado Novo FIES: ele foi criado porque o financiamento passou por reformulações recentes.

As inscrições são feitas nesse mesmo site: logo na página inicial já há os botões para quem quer complementar a inscrição e para quem deseja saber o resultado.

É importante que a pessoa confira o cronograma, que também está no site do Novo FIES: ele especificará quando são as épocas de inscrição, quando são os períodos de chamada de espera e outros.

Como funciona o FIES


Problemas para renovar o contrato do FIES: como resolver?

Estudantes do país todo costumam reclamar da dificuldade em acessar o site do Financiamento Estudantil para fazer aditamentos de contrato, ou seja, para renová-los.

Esse procedimento assegura que o Ministério da Educação continuará pagando as mensalidades por aquele semestre e quem é contemplado com o financiamento tem de passar por ele a cada seis meses.

A dificuldade maior é a instabilidade do site: muitas vezes, ele apresenta erro por causa do grande volume de acessos.

Por isso, o estudante tem de providenciar o aditamento logo nos primeiros dias do prazo e, se não conseguir, entrar em contato com o MEC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *